Benefícios sócio emocionais da vela

A Diretora de Vela, Ana Holck, traduziu um texto do inglês (confira abaixo), de autor desconhecido, que resume os benefícios sócio emocionais da vela.

“As águas calmas da Lagoa Rodrigo de Freitas e a facilidade de acesso e proximidade com a raia a tornam um dos melhores locais para a iniciação a vela. Quem vai de barco até o centro da Lagoa se surpreende com uma água muito mais limpa que a das margens”, ela afirma, convidando todos os sócios e convidados a entrar para a escolinha do clube. “A colônia de férias também é um momento único para despertar a magia da vela em seu filho, e aprender um esporte tão completo e que traz tantos benefícios”, complementa. Confira:

10 benefícios sócio emocionais da vela:
Existe algo único na vela que a torna diferente de outros esportes. Além de habilidades e estratégias, ela ensina valores que tornam os velejadores atletas únicos em alguns aspectos.

Estamos sempre tão focados nos aspectos físicos necessários para se velejar que esquecemos o quanto ganhamos em termos sociais e emocionais neste esporte.

1 – Garra/Perseverança
Podemos dizer que qualquer esporte nos ensina sobre persistência, mas a vela exige um esforço ainda maior do que os outros. Seja você um estreante experimentando ventos fortes pela primeira vez, ou um competidor nacional se deparando com ondas de três metros de altura em águas estrangeiras, você aprende a resistir, não importa o quão desconfortável possa ser. Apenas ajeite seu barco e continue a velejar.

2 – Confiança/Auto-estima
A maior parte dos velejadores começa no Optimist. Este é um barco monotipo, controlado por apenas um velejador. Sozinhos nos barcos, os velejadores ainda com 6 ou 7 anos são constantemente solicitados a tomarem suas próprias decisões. Elas nem sempre são as melhores, mas a oportunidade de pensarem por si mesmos os ajuda a aumentar sua confiança. Uma vez que você dominou ondas de três metros de altura, você pode conseguir tudo.

3 – Trabalho em equipe
Apesar de velejarem individualmente, velejadores precisam trabalhar em conjunto desde o primeiro dia. Afinal, nenhum velejador consegue virar seu Optimist da carreta sozinho. Com o passar do tempo, velejadores percebem que trabalhar junto não apenas ajuda a fazer as coisas mais rápido, mas também permite que aprendam mais uns com os outros.

4 – Amizades
Uma das coisas mais valiosas em velejar são as amizades que você faz. E é inevitável que velejadores passem horas juntos durante dias sem vento ou dias de tempestades. Você também faz novos amigos de outras nacionalidades em campeonatos internacionais.

5 – Espírito esportivo
Cometeu alguma infração sem que nenhum juiz tenha visto? Termine de cumprir sua penalidade de qualquer maneira. A vela é um esporte autogovernado, o que significa que é dever de cada velejador respeitar as regras e continuar a competição de forma honesta. É uma questão de integridade e velejadores aprendem a importância de se jogar limpo e respeitar as regras da competição.

6 – Aprender a perder
Na vela, as condições estão sempre mudando. As regatas ocorrem ao longo de alguns dias e cada dia apresenta condições climáticas diferentes. Consequentemente, os resultados e posições estão sempre mudando em um campeonato, e mesmo durante uma mesma regata. Condições imprevisíveis significam que o velejador pode passar de líder da regata para a última posição. Não se pode vencer todas as regatas, de modo que velejadores aprendem a aceitar fracassos e seguir adiante.

7 – Paciência
Esteja você fazendo uma manobra perfeita ou esperando pela próxima rondada do vento, velejar é um teste de paciência. As manobras de vela são tão complexas que levam semanas de prática para executá-las bem e com consistência. A prática não garante resultados imediatos, persistência é uma das chaves para se alcançar bons resultados na vela.

8 – Responsabilidade
A vela é um esporte que requer uma certa quantidade de equipamentos. Desde trazer os seus óculos de sol, luvas e uma biruta, até arrumar seu próprio barco antes da regata e lavá-lo ao término, velejadores aprendem a tomar conta e cuidar de seus pertences desde o inicio. Também aprendem a ser responsáveis por suas decisões durante uma regata.

9 – Controle emocional
Como mencionamos anteriormente, as condições da vela podem ser imprevisíveis. Através das experiências de ganhar e perder regatas, velejadores aprendem gradualmente a controlar suas emoções. Eles encontram meios para lidar com seus sentimentos quando estão sozinhos nos barcos – a alegria, a frustração etc. Ao final, os melhores velejadores são os que melhor conseguem controlar suas emoções e evitar que elas afetem sua performance.

10 – Disciplina
Devido a sua natureza, a vela pode ser um esporte que consome muito tempo. Ela demanda muito tempo durante finais de semana – tempo precioso que poderia ser usado para estudo ou com amigos. Deste modo, cria-se um senso de disciplina, uma vez que os velejadores aprendem a priorizar o pouco tempo que tem e a permanecerem focados.

Resumindo, assim percebemos o quanto a vela não é apenas um esporte que mantém a criança em forma, mas a transforma em um indivíduo bem formado e íntegro – algo bem mais relevante do que ganhar medalhas.