Venha praticar tênis no Caiçaras!

O tênis do Caiçaras voltou com tudo da quarentena. Desde que o clube flexibilizou as medidas de distanciamento social, a procura pela modalidade só aumenta. “Estamos com as quadras ocupadas durante o dia todo. Possivelmente porque o tênis tem um certo distanciamento social natural e isto ajuda”, afirma o diretor de tênis, Nicola Siri (foto).

Siri diz que todos os protocolos de segurança e higiene vêm sendo cumpridos rigorosamente, o que garante segurança à atividade. “Temos álcool gel em todas as quadras, nossos professores estão sempre de máscara, e o aluno tem a liberdade de utilizar ou não a máscara, o que é permitido nas quadras abertas”, explica.

Ele faz um convite a todos os sócios do Caiçaras a retornarem ou experimentarem uma aula de tênis. “Nós ficamos muito tempo parados, por conta da pandemia, então todos perdemos tônus muscular, técnica, agilidade. Temos aqui professores ‘mágicos’, altamente qualificados, que fazem todos os alunos voltarem a ter uma grande forma”, recomenda, citando os profissionais Bruks, Katz, Eldon, Hélio, André, Pitonho, Zezinho e Almeida.

Para estimular a participação de todos no tênis e promover o entrosamento entre os tenistas, o ranking da modalidade voltou a ser realizado. No ranking, competem as categorias aberto masculino e feminino (maiores de 15 anos); 50 anos + masculino (de 50 a 64 anos); e 65 anos + masculino (maior ou igual a 65 anos). Para agendar os desafios, é preciso encaminhar e-mail para esportesterrestres@caicaras.com.br ou agendar via Whatsapp (21) 96453-1364.

Também passarão a ser retomados, em breve, os torneios internos. “O tênis tem muita brincadeira, muita amizade, mas também tem uma competição saudável, que estimula os jogadores a se empenharem, darem o seu melhor”, diz Siri.

“Chegamos a finalizar o torneio de duplas acima de 45 anos. Mas temos que finalizar todas as outras categorias. E vamos fazer isto”, conta.

Outra intenção do diretor é realizar torneios de duplas mistas. “Temos jogadoras maravilhosas e queremos estimular cada vez mais mulheres a participarem das aulas e dos torneios”, afirma.